Sorriso Maduro

Dr. Eduardo Gurkewicz dedica cuidados especiais aos idosos

 

Em quase 30 anos de atuação na área odontológica, o Dr. Eduardo Gurkewicz tem se notabilizado também pelo atendimento diferenciado que oferece às pessoas idosas. Ele tem consciência que muitas pessoas dedicam boa parte de sua vida ao trabalho e à família, deixando os cuidados consigo mesmas em plano secundário. No entanto, em determinado momento, elas decidem se cuidar mais, investindo mais tempo em sua qualidade de vida.

 

Assim, o Dr. Eduardo Gurkewicz, no alto de sua experiência de mais de 30 anos dedicados à saúde bucal, faz algumas indicações e comentários sobre as doenças mais recorrentes nas pessoas que chegam à terceira idade, dá conselhos extremamente úteis para que elas cuidem adequadamente de sua saúde bucal e indica os melhores meios e caminhos para que todos superem os problemas com naturalidade e sem trauma.

 

As cinco doenças mais comuns nessa fase são:

 

1. Xerostomia

Também chamada de boca seca, é a diminuição da quantidade de saliva, que é comum em quem toma muitos medicamentos, como os antidepressivos. No caso daqueles que passaram (ou ainda passam) por radioterapia anticancerígena de cabeça e pescoço, é observada uma diminuição do fluxo salivar ainda maior, o que pode propiciar o surgimento das cáries de radiação. Por isto é importante que comuniquem tudo ao dentista antes e durante os tratamentos oncológicos. O dentista pode orientar meios de estimular a salivação, ou indicar tratamento com saliva artificial.

 

2. Cáries

Com o envelhecimento, algumas alterações bucais podem dificultar a higienização e facilitar o aparecimento de problemas nos dentes e tecidos ao redor. A gengiva pode sofrer retrações o que faz com que os dentes pareçam mais longos. Esse processo expõe a raiz do dente, aumentando o risco do surgimento da chamada “cárie de raiz”, que além de destruir o dente, pode causar hipersensibilidade da dentina.

 

3. Problemas nas pontes/próteses totais

Mais conhecidas como dentaduras e próteses parciais removíveis, popularmente conhecidas como perereca. A maneira correta de higienizar a prótese é segurar firme, para evitar que caia e sofra uma fratura, e limpar com uma escova para prótese e um sabão neutro. A limpeza deve ser feita após toda vez que se alimentar. Duas vezes por semana, é recomendado colocar as próteses, durante 30 minutos, em uma solução com 100 ml de água e uma colher de chá de água sanitária ou fazer uso de comprimidos efervescentes comercializados em farmácias.

 

4. Lesões da mucosa bucal (candidíases, leucoplasias, câncer bucal)

Na terceira idade o risco de surgirem lesões, decorrentes de próteses mal adaptadas ou de algum outro fator, como o fumo ou bebidas alcoólicas, é maior. Em frente ao espelho, com uma boa iluminação, procure por lesões na gengiva, língua, bochechas, assoalho e palato. Se encontrar qualquer alteração procure um dentista imediatamente. Repita o auto-exame mensalmente.

 

5. Periodontite

Trata-se de problema de inflamação gengival que se agrava e leva à perda do osso de suporte dos dentes, deixando-os amolecidos. Essa doença deve ser tratada e controlada, através de sessões de raspagem.

 

A higienização na terceira idade

 

Realizar uma higiene bucal três vezes ao dia – incluindo a escova tradicional e a interdental, o uso de fio dental e tratamentos regulares com flúor – pode ajudar o idoso a manter uma boa saúde bucal. Como em qualquer outra fase da vida é essencial visitar o dentista regularmente. O dentista vai indicar o espaço de tempo entre um consulta e outra, que normalmente é de seis em seis meses.

 

Uma boa saúde bucal na terceira idade

 

Se você cuidar bem dos seus dentes e realizar consultas periódicas com seu dentista, os seus dentes podem durar a vida inteira. Independentemente da idade, você pode ter dentes e gengivas saudáveis se escová-los pelo menos três vezes ao dia com creme dental com flúor, se usar fio dental pelo menos uma vez ao dia e se for regularmente ao dentista para exames completos e limpeza.

 

Medicamentos podem afetar minha saúde bucal?

 

Sim, os medicamentos podem apresentar efeitos colaterais na boca, dos quais a “boca seca” é o efeito colateral mais comum. Não deixe de informar seu dentista sobre os medicamentos que você está usando, mesmo aqueles que comprou sem receita médica.

 

Os seguintes medicamentos podem causar o ressecamento da boca:

 

  • Anti-histamínicos (Antialérgicos);
  • Descongestionantes;
  • Analgésicos;
  • Diuréticos;
  • Medicamentos para pressão alta;
  • Antidepressivos.

 

Outros medicamentos podem causar inflamações, ulcerações, dormência, formigamento, distúrbios de movimento, alterações do paladar e, durante a escovação ou do uso do fio dental, sangramento excessivo da gengiva. Se perceber quaisquer desses sintomas, consulte seu dentista ou médico.

 

Diabetes associado à periodontite

 

O diabetes é uma enfermidade caracterizada pelo fato de o corpo não produzir ou usar adequadamente a insulina. Pesquisas recentes sugerem que a periodontite está geralmente associada com o diabetes e pode ser considerada como uma das complicações clínicas da doença. Um estudo recente, realizado com mais de 200 participantes, examinou a relação entre o diabetes e a periodontite. Os resultados mostraram que os portadores de diabetes tinham um nível mais elevado de periodontite do que os participantes que não tinham a doença.

 

Importância do controle metabólico

 

Entre os fatores importantes a serem considerados na avaliação do estado periodontal de pacientes diabéticos e na formulação dos planos de tratamento estão o grau de controle metabólico, a duração da doença, a presença de complicações diabéticas de longo prazo e de fatores de risco simultâneos, além do nível geral de bem-estar do paciente.

 

Medidas preventivas são essenciais

 

É importante enfatizar a necessidade de reduzir a presença de bactérias e eliminar o biofilme dentário abaixo e acima da linha da gengiva. Isso pode ser feito com a raspagem tradicional e a regularização da raiz dos dentes, como complemento aos cuidados tomados em casa. O tratamento deve concentrar-se na prevenção de doenças periodontais e inflamação bucal, cujo controle é essencial no caso das complicações associadas com o diabetes. E, como sabemos que a ameaça bacteriana é um fator de risco na gengivite, mesmo entre diabéticos saudáveis com bom controle da doença, os pacientes devem ser incentivados a usar fio de dental regularmente e escovar os dentes com um creme dental com flúor que oferece proteção antibacteriana.

 

Mais dicas importantes às pessoas da terceira idade

 

Dica 1: A sensibilidade pode se agravar com a idade. Com o passar do tempo é normal haver retração gengival que expõe áreas do dente que não estão protegidas pelo esmalte dental. Estas áreas podem ser particularmente doloridas quando atingidas por alimentos e bebidas quentes ou frias. Nos casos mais severos, pode ocorrer sensibilidade com relação ao ar frio e a alimentos e líquidos doces ou amargos. Se seus dentes estiverem muito sensíveis, tente usar um creme dental apropriado. Se o problema persistir, consulte o dentista já que esta sensibilidade pode indicar a existência de um problema mais sério, como, por exemplo, cárie ou dente fraturado.

 

Dica 2: As pessoas mais velhas se queixam de boca seca com frequência. Este problema pode ser causado por medicamentos ou por distúrbios da saúde. Se não tratado, pode prejudicar seus dentes. Seu dentista pode recomendar vários métodos para manter sua boca mais úmida, como tratamentos ou remédios adequados para evitar a boca seca.

 

Dica 3: Enfermidades preexistentes (diabete, problemas cardíacos, câncer) podem afetar a saúde da sua boca. Converse com seu dentista sobre quaisquer problemas de saúde existente para que ele possa ter uma visão completa da situação e para que possa ajudar você de forma mais específica.

 

Dica 4: As dentaduras tornam mais fácil a vida de muitas pessoas da terceira idade, mas exigem cuidados especiais. Siga rigorosamente as instruções do seu dentista e, caso ocorra qualquer problema, marque uma consulta. Os portadores de dentaduras definitivas devem fazer um exame bucal geral pelo menos uma vez por ano.

 

Dica 5: A gengivite é um problema que afeta pessoas de todas as idades e que pode se tornar muito sério, especialmente em pessoas de mais de 40 anos. Vários fatores podem agravar a gengivite, inclusive:

 

  • Má alimentação.
  • Higiene bucal inadequada.
  • Doenças sistêmicas, como a diabete, enfermidades cardíacas e câncer.
  • Fatores ambientais, tais como o estresse e o fumo.
  • Certos medicamentos que podem influenciar os problemas gengivais.

 

Dica 6: Como as doenças gengivais são reversíveis em seus primeiros estágios, é importante diagnosticá-las o mais cedo possível. As consultas periódicas garantem o seu diagnóstico e o seu tratamento precoce. É importante saber que a boa higiene bucal evita o aparecimento de enfermidades gengivais.
Dica 7: As coroas e pontes são usadas para reforçar dentes danificados ou substituir dentes extraídos. Uma coroa é usada para recobrir um dente que sofreu perda de substância. Ela fortalece a estrutura do dente e melhora a sua aparência, sua forma ou seu alinhamento. As pontes ou próteses fixas são usadas para substituir um ou mais dentes faltantes e são fixadas nos dentes naturais ou nos implantes situados ao lado do espaço deixado pelo dente extraído.